O Cascavel CR entrou em campo no domingo (14) diante do Maringá FC, pela primeira rodada do returno do Campeonato Paraense da Divisão de Acesso, com a missão de vencer ou vencer. Os comandados do treinador Nenê tentaram, mas infelizmente a vitória não veio. O time foi derrotado pelo placar de 2 a 0.

Com o resultado negativo tirou quaisquer possibilidade de classificação para elite de 2018 neste momento para o Cascavel. Faltando dois jogos para termino da Segundona, a Serpente ocupa a terceira colocação com quatro pontos, enquanto o segundo colocado esta com oito pontos, quatro a frente.

Diante dessa situação, o Tricolor do Oeste vai apenas cumprir tabela na competição. O time volta a campo no domingo (21) frente ao Andraus Brasil, em Campo Largo.

Parte do elenco cascavelense, ainda acredita numa possível classificação, para que isso aconteça basta vencer os dois últimos compromissos e torcer para que o AC Paranavaí, seu adversário na ultima rodada, no domingo (28), no Olímpico em Cascavel, não some pontos.

"Respeite seu adversário, mais nunca tenha medo dele", disse o goleiro Eneias em uma postagem no seu Facebook.

Também via Facebook, o goleiro reserva Gabriel Batista, demostrou a confiança no grupo. “Enquanto uns olham para as dificuldades, eu olho para as vitórias, enquanto uns agradecem a sorte, eu glorifico o nome do senhor Jesus. Pai até aqui tua mão me sustentou e com humildade força e obediência grandes coisas estão por vir".

Na primeira fase o Cascavel CR, somou oito pontos em nove jogos. Foram quatro vitórias, dois empates e cinco derrotas. Na segunda fase, em quatro jogos, foram duas derrotas um empate e uma derrota. Aproveitamento de 33%


Fonte: Redação em Campo
Foto: Facebokk
Foto: Reprodução/EBC
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, homologou hoje (18) a delação premiada dos irmãos Joesley Batista e Wesley Batista, donos do grupo JBS. A informação foi
confirmada pela assessoria da Corte. As delações permanecem sob sigilo de Justiça.

Os empresários firmaram o acordo com o Ministério Público Federal (MPF) no âmbito da Operação Lava Jato. Fachin é o relator da operação no STF. 

No início da noite de ontem (17), o jornal O Globo publicou reportagem, segundo a qual, em encontro gravado, em áudio, pelo empresário Joesley Batista, o presidente Michel Temer teria sugerido que se mantivesse pagamento de mesada ao ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e ao doleiro Lúcio Funaro para que estes ficassem em silêncio. Cunha está preso em Curitiba. 

De acordo com a reportagem, outra gravação feita por Batista diz que o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), teria pedido R$ 2 milhões ao empresário. O dinheiro teria sido entregue a um primo de Aécio. A entrega foi registrada em vídeo pela Polícia Federal. A PF rastreou o caminho do dinheiro e descobriu que o montante foi depositado numa empresa do senador Zezé Perrella (PMDB-MG).

Na manhã de hoje, a PF cumpriu mandados de busca e apreensão na casa e no gabinete do senador em Brasília e em endereços relacionados a ele no Rio de Janeiro. A irmã do parlamentar, Andrea Neves, foi presa em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte. 
Agentes cumpriram mandados também nos gabinetes do senador Zezé Perrella (PMDB-MG) e do deputado Rocha Loures (PMDB-PR). 

Respostas

A Presidência da República divulgou nota na noite desta quarta-feira (17) na qual informa que o presidente Michel Temer "jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha", que está preso em Curitiba, na Operação Lava Jato.

Em nota, a assessoria de Aécio Neves disse que o senador "está absolutamente tranquilo quanto à correção de todos os seus atos. No que se refere à relação com o senhor Joesley Batista, ela era estritamente pessoal, sem qualquer envolvimento com o setor público. O senador aguarda ter acesso ao conjunto das informações para prestar todos os esclarecimentos necessários".

Fonte: Agência Brasil
Foto: Reprodução 
Primeiro-secretário da Câmara, o deputado paranaense Fernando Giacobo (PR) deve R$ 21 milhões à União. O montante, que também inclui débitos pendentes de empresas do parlamentar, consta do portal da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) e os dados são públicos.

Em 1997, Giacobo ganhou 12 vezes na loteria, em um período de apenas 14 dias. Em entrevista concedida no ano passado à Gazeta do Povo, ele se justificou dizendo que se tratavam de apostas em “bolões”.

Uma concessionária de veículos do deputado acumula mais de R$ 10 milhões em dívidas e uma oficina de serviços de manutenção em automóveis deve R$ 3,5 milhões. A empresa de locação de carros vinculada a Giacobo tem R$ 342,1 mil em pendências, segundo a Fazenda da Nacional.

Com base eleitoral em Cascavel, o parlamentar declarou bens que somavam R$ 2,3 milhões em 2014. Giacobo chegou a ser réu em três ações penais no Supremo Tribunal Federal (STF), mas todas prescreveram. A Gazeta do Povo tentou ouvir o parlamentar, mas sua assessoria de imprensa não atendeu aos pedidos de entrevista.

Prefeito de Londrina

Além de Giacobo, outro político eleito deputado nas últimas eleições que aparece na relação de devedores é Marcelo Belinati (PP). Em janeiro deste ano, Belinatti deixou a Câmara dos Deputados para assumir a prefeitura de Londrina. Segundo a Fazenda Nacional, o paranaense deve R$ 7,4 mil à União.

Belinati não quis conceder entrevista, mas emitiu uma nota em que disse que o débito se refere a uma multa eleitoral, aplicada pela Justiça por propaganda irregular. Segundo o prefeito, um simpatizante de sua candidatura afixou um cartaz no muro de sua própria casa.

“Marcelo [Belinati] recorreu judicialmente contra a multa porque a acha injusta, já que não é possível controlar quem cola cartazes ou não, numa cidade metrópole do tamanho de Londrina”, diz o texto.


Fonte: Gazeta do Povo 
Foto: Divulgação
A partir de agora, municípios com dívidas com o INSS poderão parcelar os débitos em até 200 meses e terão reduções nos juros e na multa.

A determinação está prevista em medida provisória assinada hoje (16) pelo presidente Michel Temer durante a 20ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios. 

Segundo o texto, as prefeituras terão redução de 80% nos juros e de 25% na multa. A edição da medida atende ao pleito de prefeitos que vieram a Brasília para pedir, principalmente, a renegociação das dívidas previdenciárias. 



Fonte: Agência Brasil
Foto: Osvaldo Duarte
Para vingar a morte do pai, Gabriel da Silva Oliveira, 24 anos, assassinou com golpes de facão o padrasto Adelcio Brites Amarília, 30 anos. Gelson Rocha Duarte, de 30 anos, cunhado do suspeito, também foi encontrado morto. O duplo assassinato aconteceu por volta das 18h30 do domingo (14),  em frente a residência na aldeia indígena Bororó, em Dourados, no MS.

Testemunhas relataram para a polícia, que Adelcio, Gelson, Gabriel e alguns familiares consumiram bebida alcoólica durante o dia e, no início da noite, os homens se desentenderam.

No local, a polícia recebeu a informação de que Adelcio sempre falava que havia assassinado o pai de Gabriel, sendo que esta situação deixava o suspeito muito nervoso. A mãe do jovem confirmou que seu marido era o autor da morte de seu ex.

A mãe do suspeito contou que estava muito bêbada e se lembrava apenas de que uma pessoa chegou no local e deu início a discussão. Ela disse ainda que estava escuro e ouviu gritos do marido, mas não viu quem o matou.

Já a esposa de Gelson relatou que viu seu irmão Gabriel com uma faca e tentou desarmá-lo, mas não conseguiu e também não presenciou ele praticar os assassinatos.


Adelcio estava com ferimentos na cabeça e no tórax, enquanto Gelson foi atingido por golpe de facão nas costas e ferimentos na cabeça que, aparentemente, foram provocados por pedaço de madeira. Local foi preservado por lideranças indígenas até a chegada da polícia.



Fonte: Correio do Estado
Foto: Divulgação
A Policia Militar de Toledo foi acionada via central na noite de sábado (13), para se deslocar até uma residência localizada na rua Amélio Tomé, para atender uma  situação de violência doméstica.

No local, uma mulher relatou que seu companheiro teria chegado em casa alterado, ofendendo com palavras de baixo calão.

Afirmou ainda que após isso ele teria desferido tapas em seu rosto, na sequência tentou esganar a vítima, deixando sinais visíveis de lesões.

Após teria agredido a filha do casal, de 8 anos, com tapas, dos quais resultaram um sangramento na boca.

Ao receber voz de prisão, o homem resistiu, sendo necessário o emprego de força moderada para imobiliza-lo.

Ele foi algemado e desacatou a equipe que atendia a ocorrência.

O detido foi encaminhado à 20 Subdivisão Policial de Toledo.

Ao ser confeccionado o boletim de ocorrência, constatou-se que ele possuía um mandado de prisão em aberto por homicídio.


Fonte: Rádio Educadora
Foto:propaganda empreendimento/facebook
 Justiça determinou a proibição da venda de cotas de dois grupos imobiliários que têm comercializado terrenos para futuros loteamentos imobiliários a serem implantados em Toledo. As empresas também estão proibidas de fazer qualquer publicidade do negócio, bem como de celebrar novos contratos de compromisso de compra e venda ou contratos jurídicos e de formar novos grupos imobiliários com o mesmo fim.

A liminar judicial, proferida na última semana, no dia 5 de maio, atende ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Paraná, por meio da 3ª Promotoria de Justiça da comarca. O MPPR relata que três empresas do ramo imobiliário, de responsabilidade de quatro corretores de imóveis, todos requeridos na ação, formaram dois grupos para a venda de cotas imobiliárias na cidade, com a promessa de, a partir da arrecadação dos valores, comprar um terreno e formar um loteamento. 

Ocorre que, conforme apurado pela Promotoria de Justiça, trata-se de publicidade enganosa – o grupo teria praticado o mesmo golpe em outros municípios da região Oeste. Pelo menos 264 cotas já teriam sido vendidas em Toledo. Além da proibição de vender novas cotas e divulgar o negócio, a Justiça determinou a indisponibilidade de bens dos envolvidos e dos grupos imobiliários e impôs multas que variam de R$ 5 mil a R$ 500 mil, dependendo da deliberação a ser acatada. Entre os envolvidos no gripo está o vereador mais votado nas últimas eleições em Toledo.


Fonte: Seis e Meia Urgente
Foto: Reprodução
Eleitores que não votaram e não justificaram a ausência nas três últimas eleições podem ter o título cancelado pela Justiça Eleitoral.

Um levantamento divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE)  mostra que 1.898 milhão de eleitores estão em situação irregular no Brasil.

O maior colégio eleitoral do país, o estado de São Paulo registra o maior número de eleitores nesta situação: são 510.489. Em seguida, aparecem o Rio de Janeiro (RJ), com 255.438, Minas Gerais, com 169.111 eleitores, e o estado da Bahia, quarto colégio eleitoral do país, com 144.194. No Distrito Federal, apenas quatro eleitores continuam em situação irregular.

Em 2015, foram cancelados 1.711.267 títulos de eleitores que não regularizaram a situação junto à Justiça Eleitoral.

Cancelamento

O cancelamento automático do título de eleitor ocorrerá de 17 a 19 de maio de 2017. A relação dos eleitores que podem ter o título cancelado deve ser consultada no site do TSE ou nos cartórios eleitorais — a Justiça Eleitoral não faz comunicação por e-mail ou correspondência.

O cidadão pode consultar sua situação neste site ou ao cartório eleitoral e solicitar essa informação.

Legislação

A legislação considera cada turno de votação um pleito em separado para efeito de cancelamento de título. O parágrafo 6º do Provimento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nº 1/2017 estabelece que “será cancelada a inscrição do eleitor que se abstiver de votar em três eleições consecutivas, salvo se houver apresentado justificativa para a falta ou efetuado o pagamento de multa, ficando excluídos do cancelamento os eleitores que, por prerrogativa constitucional, não estejam obrigados ao exercício do voto”.

Eleitores com voto facultativo (analfabetos, eleitores de 16 a 18 anos incompletos e maiores de 70 anos) ou com deficiência previamente informada à Justiça Eleitoral não precisam comparecer ao cartório para regularizar a situação.

Consequências

Quem não regularizou a situação do título eleitoral poderá ser impedido de obter passaporte ou carteira de identidade, receber salários de função ou emprego público e obter certos tipos de empréstimos e inscrição.


A irregularidade também pode gerar dificuldades para investidura e nomeação em concurso público, renovação de matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo e obtenção de certidão de quitação eleitoral ou qualquer documento perante repartições diplomáticas a que estiver subordinado.

Fonte: Parana Portal
Foto: Divulgação
Uma equipe do GAECO esteve em Toledo na manhã desta terça-feira (9) cumprindo mandado de busca e apreensão.

Segundo Nota da Secretaria Municipal de Saúde, o alvo seria um servidor lotado na Vigilância Sanitária e ao mesmo tempo proprietário de uma empresa de dedetização. De acordo com a nota tal situação ocorria desde 2013.

A nota informa que providências administrativas  serão tomadas.
  

NOTA OFICIAL SOBRE O CUMPRIMENTO DE MANDADO DE BUSCA E APREENSÃO NA VIGILÂNCIA SANITÁRIA

O Município de Toledo, através da Secretaria Municipal da Saúde, informa que a Coordenadoria de Controle Externo da Atividade Policial e dos Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) cumpriu mandado de busca e apreensão na Vigilância Sanitária de Toledo nesta terça-feira, 9. A suspeita é que um servidor, lotado na Vigilância Sanitária, estaria exercendo função em empresa privada do ramo de dedetização, ao mesmo tempo que exercia a sua função pública. O Ministério Público investiga eventual conflito de interesses por parte do servidor, que estaria ocorrendo desde Janeiro de 2013. O processo segue em segredo de Justiça. O Município de Toledo está tomando todas as providências para salvaguardar as informações relevantes para o processo e colaborar com o Ministério Público e a Justiça para esclarecer os fatos, inclusive com o afastamento do servidor, caso necessário.
Foto: Jaillton Silva/ Portal Uruçuí

Três adolescentes foram apreendidos suspeitos de degolar um homem, jogar o corpo dele no rio e estuprar a sua namorada durante tentativa de assalto na cidade de Uruçuí, Sul do Piauí. Segundo o delegado Bruno Ursulino, o casal foi abordado pelo trio por volta de meia-noite dessa terça-feira (2), quando atravessavam de moto a ponte para a cidade Benedito Leite, no Maranhão.

“A intenção dos assaltantes era roubar a moto, mas a vítima reagiu e travou luta corporal entre eles. O jovem de 19 anos foi degolado e o corpo jogado no rio Parnaíba. Já a namorada de 15 anos temos fortes indícios de que ela foi abusada pelos suspeitos, que fugiram com o veículo e os celulares do casal”, relatou o delegado.

Após buscas na região, a polícia apreendeu dois dos menores, enquanto o terceiro foi apresentado na manhã desta quarta-feira (3) pelo próprio pai na delegacia de Uruçuí. O Conselho Tutelar já foi informado do caso e deve acompanhar.

“Os suspeitos são do Maranhão e conhecidos da polícia do Piauí porque foram apreendidos diversas vezes por assaltos, roubos, tráfico de drogas e tentativa de homicídio. Eles já cumpriram medidas socioeducativas, no entanto continuam no mundo do crime”, falou Bruno Ursulino.

O delegado informou que a namorada do jovem morto será encaminhada para o Serviço de Apoio à Mulher Vítima de Violência Sexual (Samvis) em Teresina, onde deve ser submetida a vários exames. Policiais realizam buscas no Rio Parnaíba, na tentativa de encontrar o corpo da vítima.


Fonte: G1


Termina nesta terça-feira (2) o prazo para o eleitor que não votou e não justificou a ausência nas três últimas eleições, ou não pagou as multas correspondentes, regularizar sua situação perante a Justiça Eleitoral. Após esse prazo, essas pessoas correm o risco de ter o título cancelado, lembrando que a legislação considera cada turno de votação um pleito diferente para efeito de cancelamento. 

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em todo o País, mais de 1,8 milhão de eleitores estão com seus títulos irregulares por ausência nas três últimas eleições. Em São Paulo (SP), esse número chega a 118.837 eleitores; no Rio de Janeiro (RJ) o total é de 119.734; em Belo Horizonte (MG) são 26.570; em Salvador (BA) esse número é de 31.263; e em Porto Alegre (RS), 18.782.

O cancelamento automático dos títulos de eleitores ocorrerá entre 17 a 19 de maio de 2017.
Foto: Reprodução/Google 

Os eleitores com voto facultativo (analfabetos, eleitores de 16 a 18 anos incompletos e maiores de 70 anos) ou com deficiência previamente informada à Justiça Eleitoral não precisam comparecer ao cartório para regularizar a sua situação. 

Para fazer a regularização, no cartório eleitoral, o eleitor deverá apresentar documento oficial com foto, comprovante de residência e, se possuir, título eleitoral e os comprovantes de votação, de justificativa ou de quitação de multa. 

O cidadão pode consultar sua situação perante a Justiça Eleitoral nos cartórios eleitorais, no site do TSE ou nos sites dos tribunais regionais eleitorais de cada estado.


Fonte: Agência Brasil
Um casal foi preso ao praticar sexo na praia de nudismo de Massarandupió, no Litoral Norte da Bahia. Segundo informações da Polícia Militar, a prisão ocorreu por volta das 11 horas de domingo (30). Ainda segundo a PM, eles estavam praticando sexo oral, não respeitando as regras do local destinado à prática do naturismo.

O casal, que é natural do estado de Sergipe, foi levado por uma guarnição da 56ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Entre Rios), que estava realizando ronda na localidade, até a delegacia de Alagoinhas, onde a ocorrência foi registrada.

Criada em 1999, a praia de nudismo de Massarandupió é uma das mais tradicionais do país. A beleza natural da região e o mar calmo, com recifes que formam piscinas, são alguns dos atrativos da praia.

Diferente do que se possa imaginar, as praias destinadas ao naturismo possuem regras. Além de não praticar sexo ou masturbação em público, os visitantes devem interagir com bom senso, como se estivesse de roupa, não podem fotografar ou filmar sem consentimento, e nem olhar fixamente para as pessoas.


Foto: Reprodução

Fonte: CGN/Correio 24 Horas